UNIFLORESTAL PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

UNIFLORESTAL PRESERVAÇÃO AMBIENTAL criou um projeto inusitado para cuidar do meio ambiente, e amenizar a ação humana que vem causando danos irreversíveis no planeta.

uniflorestal

A empresa adquire através dos meios formais e legais amplas extensões de terras com a finalidade de torná-las reservas privadas do patrimônio natural, protegidas da interferência humana. Após a sua demarcação, essas áreas ficarão isoladas do homem, para a natureza ali seguir seu curso, mantendo o pleno desenvolvimento e manutenção dos ecossistemas locais.

Denominamos essas áreas de UCEs (UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ECOLÓGICA), e têm de 1.000.000 à 10.000.000 de m² e serão constituídas em diversos pontos do País, com uma administração privada. A ideia de limitar a área da UCE veio com o objetivo de garantir a fiscalização da integridade da área, de sua fauna e flora. Você nem precisa imigrar para Quebec  para ver as belezas florestais, pois as temos aqui nessas UCEs.

A 1ª (UCE) com 2.800.000 m² está sendo criada no Brasil, no Município de Terra de areia, no Estado do Rio Grande do Sul. Aárea esta sendo preservada criando um ambiente ideal para o desenvolvimento da biodiversidade da região, além de absorver 3.800 toneladas de dióxido de carbono ao ano.

LOCALIZAÇÃO

Município: Terra de Areia
Estado: Rio Grande do Sul
País: Brasil
Continente: América Látina

 

O método criado pela UNIFLORESTAL possibilita a participação de várias empresas e também de pessoas físicas dentro de um mesmo projeto, de uma maneira simples e economicamente viável, pois a terceirização dos trabalhos de criação é o atrativo que faltava no mercado para as empresas atuarem nesta área sem ter que montar um departamento específico para executar as tarefas, o que demandaria tempo e custos elevados, sem falar em despesas posteriores ao final do projeto com manutenção e monitoramento da área o que efetivamente não ocorre neste caso.

Pois após a conclusão do projeto a área se torna uma RPPN (reserva privada do patrimônio natural) e passa a fazer parte das reservas ambientais do país de origem, com um monitoramento constante da Uniflorestal, Ibama e entidades ambientalistas, pois é necessário um controle permanente e uma administração firme para a preservação do meio ambiente.

O objetivo da Uniflorestal até o final de 2014 é ter finalizado três projetos que somarão 10.000.000 de m², absorvendo 15.200 toneladas de dióxido de carbono ao ano. Com todos auxiliando a diminuição do dióxido de carbono na atmosfera, a temperatura no planeta tende a se manter estável evitando o aquecimento global e as conseqüências catastróficas que o precedem.

A participação dentro do projeto ocorre de uma maneira simples com a compra de serviços de elaboração e execução na formação de área de preservação dentro da reserva privada, após a Uniflorestal emite nota fiscal de serviço no valor correspondente a área formada, e um certificado de participação na criação da UCE (Unidade de Conservação Ecológica).

O Certificado tem validade permanente, com um código de autenticação, no qual constam todos os dados, o que permite um controle rigoroso dentro da UCE, com transparência na demonstração de preservação e sustentabilidade ambiental do participante.

Após a Unidade se tornar uma RPPN (reserva privada do patrimônio natural) a área recebe um registro permanente das autoridades competentes no pais, o qual deverá ser averbado na matricula, tornando-a de uso especifico para preservação ambiental natural “privada”.

A partir daí a área fica livre de impostos territoriais, com um acompanhamento periódico dos órgãos fiscalizadores brasileiros e entidades ambientalistas nacionais e internacionais, o que traz uma imagem positiva para os participantes.

São iniciativas como estas que preserva a natureza para estudos que venha a criar produtos para tratamento de pele – como up skin creme facial -, obesidade e doenças diversas. Obviamente que também há o interesse em preservar para as próximas gerações.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

  • A floresta pode acabar?

    A Floresta pode acabar se as pessoas não tiverem cuidado com ela. Mas isso não vai acontecer, porque as crianças que hoje se preocupam com a floresta, vão também cuidar dela no futuro! Mas se os fogos continuarem a existir e não se voltarem a plantar árvores nos locais que arderam, os solos ficam pobres e os animais abandonam os locais. Assim, também o oxigénio produzido pelas árvores diminui e o ar ficará mais poluído e, desta forma, os seres vivos terão mais problemas de saúde e as doenças vão aparecer. Como vês, todos os seres vivos precisam da Floresta e somos nós que temos que a manter!

  • A floresta que arde com os incêndios demora quanto tempo a voltar ao que era?

    Muitos e muitos anos!
    O crescimento de uma árvore ou planta depende das suas características. Se leste todas as perguntas e respostas dos outros meninos e meninas, já sabes que a maioria das árvores no nosso país levam 25 a 30 anos até serem adultas e que uma área florestal que ardeu leva, pelo menos, cem anos a ser reflorestada e a restabelecer o seu equilíbrio natural.

  • Acho que deveríamos ensinar os proprietários de florestas a reciclar todas as florestas do País, pois acho que podemos ter outro tipo de árvores que não os eucaliptos, sobretudo no Norte de País.
    Quais as espécies mais vantajosas para termos em Portugal divididas pelas regiões?
    Tenho mais uma pergunta, o eucaliptoé prejudicial para a terra?
    Obrigado,

    A distribuição das espécies em Portugal está relacionada com diversos factores, entre eles o clima, o tipo de solos ou a altitude.
    Por exemplo, os vários tipos de carvalhos portugueses predominam, essencialmente, a norte do rio Tejo e o sobreiro, juntamente com a azinheira, a sul do mesmo rio.
    Outros exemplos bem conhecidos são a alfarrobeira e a amendoeira que são árvores tradicionais do Algarve.

    O eucalipto, por sua vez, surge em Portugal mais recentemente e o seu aparecimento está relacionado com a indústria do fabrico do papel.
    Quase a totalidade dos eucaliptos se encontram em terrenos privados, mas desde que estes sejam explorados mediante critérios ambientais e sociais, o eucalipto não é prejudicial para o solo.

  • As árvores das florestas são importantes para a vida animal. O que se pode fazer para proteger esses habitat?

    As florestas servem de abrigo a uma grande parte dos animais e encerram, por isso, os seus habitats. Também são uma rica fonte geradora de matéria-prima para produtos de saúde diversos, como para emagrecimento, aumento da libido (como xtramaster ou xtrasize funciona), tratamento para calvície, ganho de massa muscular, cura de doenças diversas, etc. Para proteger aqueles habitats a ação humana tem que atuar para a sua proteção e preservação – não provocar o fogo; não efetuar o corte de árvores ilegalmente; não introduzir espécies de flora e fauna estranhas ao local; não poluir o espaço florestal e os seus percursos de água.
    Todos os locais na floresta suportam ecossistemas próprios. Mesmo as áreas mais pequenas têm o seu ecossistema e a proteção e prevenção de riscos é muito importante.

  • As árvores das florestas são muito altas, as suas raizes são de que tamanho? Muito grandes?

    Na floresta existem árvores altas e outras baixas, umas grossas e outras finas, embora as suas raízes possam ser mais ou menos profundas.
    As raízes para além de fixarem as árvores ao solo e serem o seu suporte, é através delas que se alimentam.
    Não se pode quantificar o tamanho das raízes porque esta parte da árvore é composta por uma raíz principal e várias ramificações mais pequenas.
    Geralmente, o crescimento da raíz dá-se em profundidade e, posteriormente, desenvolvem-se as raízes de crescimento horizontal, mais próximas à superfície do solo.

floresta

RANCHO PARANÁ

Rancho Paraná segue inovando, avança no segmento de flores tropicais, mostra confiança na pesquisa cientifica e nos negócios sustentáveis.
Empresas seguem sem medo apostando no mercado de flores tropicais de Brasília. O Distrito Federal é privilegiado pela sua localização e importância geográfica, recendo influência do Brasil inteiro. Empreendimento de turismo rural, o Rancho Paraná, que tem cada vez mais se qualificado em seu segmento, apresenta planos arrojados e este ano já colocou em ação o projeto de produção de papel com fibra de helicônia. Esse filão, afirma Marcia Rosely, um das proprietárias do Rancho Paraná, é muito promissor, porque, em sua opinião “agregará valor ao produto, além de preservar o meio ambiente”.
“O mercado de Brasilia está em crescimento e estamos fazendo diversos trabalhos para estimular o consumo: além de produzirmos, hoje eu e meu irmão, após vários cursos de arte floral, fazemos parte da Academia Brasileira de Artistas Florais e realizamos demonstrações de arranjos florais exclusivamente tropicais”, conta. “Temos um box na Central Flores (Associação Brasiliense de Produtores de Flores e Plantas do DF), na Ceasa. Além disso, atendemos decoradores, floriculturas e paisagistas”. Através do serviço de turismo,
Assim, a empresa, que gera vários empregos (incluindo a família, que maneja oito hectares de terra) não poderia estar em outra dimensão que não seja a da vanguarda. Em junho, promoveu a exposição fotográfica “Flores Tropicais no Rancho Paraná”, com imagens produzidas por Ricardo Sagebin. A mostra partilhou com o público a produção floral nos 365 dias do ano através de 150 fotos.
flores“Nossa especialidade são Heliconias, mas temos outros tipos de flores tropicais, como Bastões do Imperador (vermelho, rosa, porcelana, tulipa vinho, tulipa vermelho), Tapeinóchilo, Zingiber (sorvetão), alpineas (purpurata rosa, purpurata vinho, jungle king, kimi), costus, musas (coccinea, bronze, velutina),calatheas”, aponta Marcia. “Também temos produtos exóticos que acompanham as tropicais como asclepsias (papo de anjo), solano, jurubeba, urucum, mamona vermelha, dentre outros. Além de uma bela variedade de folhagens como dracaenas, aspargos, palmeiras, e outras”.

O Rancho Paraná já tem praticamente montados equipamentos e instalações da fábrica de papel de helicônia. O projeto baseia-se na pesquisa realizada em 2004 pelo Laboratório de Materiais Expressivos da Universidade de Brasília, resultando na descoberta de que o caule da helicônia pode ser usado na fabricação de papel. O trabalho da pesquisadora Thérèse Hofmann diz que as experiências apresentaram resultados muito promissores e, para comprovar o ensaio em laboratório, os empreendedores do Rancho Paraná decidiram colocar dinheiro na proposta. A princípio, a empresa pensa em processar apenas os materiais que irá utilizar na rotina de seu negócio. O desdobramento das lâminas de papel resultará deverá ser realizado por empresas especializadas. “Vamos produzir a folha e formar parcerias”, informou Marcia.
Experiências bem-sucedidas em laboratório foram absorvidas pela iniciativa privada preocupada com responsabilidade social e ambiental.

É da natureza e de iniciativas como estas que surgem também a matéria-prima para muitos produtos de perda de peso, beleza – quando você vai comprar o creme ageless para se sentir mais jovem – melhora da libido, como xtrasize, doenças e terapias diversas.

CURIOSIDADES SOBRE FLORESTAS

florestaFlorestas cobrem cerca de 30% do solo do planeta, o que representa 1/3 a menos do que ocupavam antes do surgimento da agricultura.

A Amazônia abriga mais de 50% de todas as aves conhecidas do mundo; 1622 espécies.

Cerca de 15% da floresta amazônica original já foi devastada. Estima-se que este índice chegará a 25% até 2020.

O peixe-boi é o maior animal da Amazônia. Ele pode atingir 3 metros de comprimento e pesar mais de meia tonelada.

O Brasil possui catalogadas 483 espécies de mamíferos, sendo que destes, 324 vivem na Amazônia. A mesma floresta possui 1 terço dos insetos do planeta.

A Floresta Amazônica possui 60% de sua cobertura nas terras brasileiras, mas se espalha por outros países, como Equador, Suriname, Guiana Francesa, Guiana, Colômbia, Venezuela, Peru e Bolívia.

Os países com maior área de florestas do mundo são: Rússia, Brasil, Canada, Estados Unidos, China, Austrália, República Democrática do Congo, Indonésia, Peru e Índia.

Ao contrário do que muitos pensam, a maior floresta do mundo (critério de área total) encontra-se na Rússia, e não no Brasil. A floresta russa estende-se por 8,5 milhões de quilômetros, uma área correspondente ao tamanho total do Brasil.

O Brasil é considerado o país com a flora mais rica do mundo. Afirmam os estudiosos que temos cerca de 50 mil espécies. Somente a floreste amazônica tem 2.500 delas.

A segunda maior extensão de floresta brasileira é a Mata Atlântica que hoje tem somente 12% da área total que já foi de 1,3 milhão de quilômetros quadrados.

As florestas contribuem para a manutenção do ciclo hidrológico e para que o planeta tenha um clima estável, além de reduzirem os riscos de erosão.

O país que possui a maior porcentagem territorial coberta por floresta é o Suriname, aqui na América do Sul. Cerca de 90% do país ainda tem cobertura vegetal.

Na Amazônia existem catalogadas 517 espécies de anfíbios e 468 de répteis.

Estima-se que cerca de 13 milhões de hectares de floresta são derrubados por ano. Isso equivale a uma área aproximadamente do tamanho da Grécia. Na América do Sul, África e Sudeste Asiático acontecem os maiores desmatamentos.

Aproximadamente 16% do dióxido de carbono liberado anualmente na atmosfera são produzidos por causa das queimadas.

O Japão é o país que tem a maior floresta plantada do mundo, com o objetivo de preservação.

Então, gostou?

Se você também é fascinado por florestas, vale a pena dar uma conferida no vídeo abaixo, que é uma parte de uma reportagem sobre a floresta amazônica.